‘Green Lanterns #1’ explora mais a relação conturbada de Simon e Jessica! [Crítica]

Green Lanterns #1” aprofunda mais a ligação entre Simon Baz e Jessica Cruz e ainda dá pistas sobre uma futura ameaça. A decisão de colocar os dois Lanternas trabalhando juntos se mostra cada vez mais acertada, passando a mesma impressão que se tem ao assistir um buddy cop movie. Os personagens sempre divergindo em opiniões, mas tendo de trabalhar como uma dupla, dá uma dinâmica muito interessante para o título.

A revista, roteirizada por Sam Humphries, começa fazendo um breve resumo sobre as Tropas e o que elas representam, que na mitologia proposta por Geoff Johns são os sentimentos. Após essa introdução vemos que Baz e Cruz então indo atender uma emergência no Arizona que envolve um alienígena não autorizado a estar na Terra. Como os personagens são extremamente diferentes e estão sendo forçados a trabalharem juntos quase todas as suas falas e ações são divergentes e isso deixa toda a história com um ar descontraído e divertido que a DC quer retomar com o “Rebirth“. A emergência que os dois Lanternas estão investigando se mostra ser bem pior do que eles pensavam e os dois novatos são desbancados de suas funções pela A.R.G.U.S. O mais legal é que isso acontece porque os personagens foram incumbidos de defender todo o Setor 2814 sem nenhuma instrução ou diretriz para lhes mostrar qual caminho deve ser seguido. Os dois realmente não sabem o que fazer e isso é ótimo!

Humphries também dá espaço para que os personagens se desenvolvam se forma isolada e pessoal. Cruz novamente é mostrada como sendo bastante insegura e reclusa, fatores que afetam sua vida como Jessica e como Lanterna Verde. Já Baz é um cidadão descontente com seu governo pois está sofrendo acusações de coisas que não fez. Ser taxado como terrorista faz com que o personagem queira mostrar o seu valor a todo o custo e isso as vezes resulta em escolha afobadas.

A arte da revista fica por conta de Robson Rocha. Seu traço se encaixa perfeitamente com o roteiro rápido de Humphries e mostra muito bem o que cada personagem está sentindo. O desenhista consegue dar um peso emocional muito grande para a HQ, especialmente para as cenas finais da edição que se intercalam e se sobrepõe de forma excelente.

A DC Comics nos entrega mais uma ótima revista que, apesar de ter muita ação, é movida pela inexperiência de seus protagonistas e do relacionamento conturbado que existe entre eles. É realmente como assistir um filme de policiais dos anos 80.


Conheça nossa página no Facebook clicando aqui! 😀

E nosso Twitter? Já conhece?


Procurando produtos da DC? Clique na imagem abaixo e seja feliz!

4291135-justice_league__dc_new_52__art_print_by_jim_lee__alex_sinclair___scott_williams-will-justice-league-happen-1-dccu-to-be-new-52

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s